segunda-feira, 20 de abril de 2009

O QUE ESTAMOS A LER - final de Abril


Eu - Acabei de ler “O labirinto” de Kate Mosse.
Andar carregada com este livro foi um exercício de braços, pois apesar de ter menos páginas que o “Nómada” da Stephanie Meyer, parece mais pesado. Gostei da história, especialmente porque mais que um romance de fantasia parece um romance histórico sobre a época medieval e a imposição da religião e isso é o que torna o livro interessante.

Para fazer o contraste saltei para o “Stardust - O mistério da Estrela Cadente" - de Neil Gaiman que parece uma pena e faz mais o meu estilo de fantasia. Já conhecia o filme, que adoro, e até agora o livro parece igualmente bom.




Monica R. – Estando quase duas semanas de férias na época da Páscoa a sua leitura foi mais direccionada para os mapas das cidades de Roma, Zurique e Luzerne. A sortuda!
Agora já de volta ao mundo laboral está a continuar a ler “A Guerra dos Tronos” de George R. R. Martin e a sua opinião é a mesma.
Trata-se de um livro muito bom, com uma história envolvente que nos prende e passamos a amar ou a odiar as personagens. Eu já tenho as minhas favoritas e torço por elas, mas ainda tenho muitos livros para ler lá na estante. Já comprei até ao Festim dos Corvos”.




Zélia – Está ler o “ Festim dos Corvos” de George R. R. Martin e mesmo nas primeiras páginas já está a adorar.
Entretanto tinha terminado de ler “Nómada” de Stephanie Meyer: “Adorei o Nómada, mas o final não me surpreendeu. Sinceramente já esperava aquele fim




Monica M. – Ainda a ler “Os Maias” de Eça de Queirós já se encontra na parte final.
“O Carlos Maia merece sofrer, é uma pária. Exactamente Pária, que significa: alguém que não faz o seu papel social, recusa assumir responsabilidades pelo seu grupo, é leviano e tem potencial, mas não faz a sua parte.”




Diana – Acabou de ler “O Fim do Sr. Y” de Scarlett Thomas.
“É um livro super interessante que me surpreendeu imenso pela positiva. Tem como base a história de uma aluna de doutoramento que vai fazer a sua tese sobre um livro que, supostamente, está amaldiçoado, chamado O Fim do Sr. Y de um autor do século XIX Thomas Lumas. Só que o livro revela um segredo, uma fórmula para algo que seria inimaginável (e eu também não vou dizer para o que é hehe) e a partir daí geram-se discussões e reflexões sobre tudo: desde religião, filosofia, ciência, pensamento, consciência, linguagem, realidade e ilusão, conhecimento, o que é a verdade das coisas...Muito bom e mais que recomendado!”
Agora começou a ler "Ravens of Avalon" ou seja, em português “Os Corvos de Avalon”, de Marion Zimmer Bradley.





Kyree - A terminar de ler “A Filha do Sangue” de Anne Bishop e vai já começar esta semana o segundo livro da Série das Jóias Negras : “Herdeira das Sombras
“Xiii.... Estou mesmo perdido. Os personagens são tão reais.Amo a Surreal e ate o Senhor Supremo lol. O Sadi... Quem não gosta daquela fera? :)
A história tinha um bom ritmo, mas depois de chegar a 3/4’s, começou lentamente a ganhar velocidade. Agora, esta a 200km/p/h e sei lá aonde e que aquilo vai parar.:)Acho que encontrei uma nova saga favorita.:) E de fantasia, coisa que não encontrava há muitos anos.”


Cláudia F. – Decidiu deixar a leitura da “Filha do Sangue” de Anne Bishop para outras núpcias uma vez que sentiu que o livro requeria uma atenção redobrada e isso fazia-a cansar. Assim, vai atacá-lo melhor quando as férias chegarem.
Comprou “O Espelho Negro” de Juliet Marrilier, 1º livro das Crónicas de Bridei, que vai começar a ler para a semana pois entretanto começou a ficar embrulhada nas minhas escritas, encontrando-se nos primeiros capítulos de “As Pedras de Áurea”.



Paula – Acabou a “trilogia da Herança” de Nora Roberts e não se importa nadinha de ler mais livros da autora.

Entretanto, e para minha surpresa, acabou de ler o meu livro “As pedras de Áurea”.
Até gostei, notam-se alguns erros gramaticais (mas eu li a versão antes da corrigida, a curiosidade apertou) e por vezes metes a história em stand-by para devaneios da personagem principal, mas isso também já vi noutros autores, after all descreves bem o universo psicológico das personagens, em relação às descrições do espaço... acho que como as fazes estão boas, eu não gosto de páginas só com a descrição do espaço. Gostei da história, o final foi meio inesperado mas gostei e quero ler o que se vai passar a seguir.”
Se me esqueci de alguém por favor avisem. Jokas para todos e boas leituras!

1 comentário:

PatMan disse...

É estas coisas que confundem completamente uma pessoa bilingue. Estou farto de ver a palavra 'frog' ser traduzida em Português como 'sapo', quando, na realidade,(segundo o que sempre acreditei) devia ser 'rã'.

Agora noto que traduziram no livro da Marion Zimmer-Bradley, 'ravens' como corvos. O que está incorrecto - pois corvos são 'crows', e 'ravens' são gralhas. A não ser que eu tenha crescido com a noção que errada rãs e sapos / corvos e gralhas sejam criaturas/especies completamente diferentes.

Eu, claro - raciocino mais pelo Inglês, que é realmente a língua em sou mais fluente, por isso estou sempre a tentar desvendar mistérios que ainda tenho para com as duas linguas. :)